Notícias

EMBRAPII debate papel da engenharia no desenvolvimento econômico do Brasil

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) estará presente na 9ª edição do Dia da Engenharia Brasil-Alemanha, que acontece no dia 22 de novembro, no Villa Blue Tree, em São Paulo (SP). O evento vai debater a educação e a formação continuada de engenheiros para melhoria da competitividade da indústria nacional e superação da crise econômica no Brasil. São esperados cerca de 500 participantes, entre engenheiros, empresários, presidentes e diretores de grandes companhias, representantes de associações e entidades de classe, acadêmicos e pessoas apaixonadas por Engenharia.

A programação do evento prevê quatro painéis com especialistas, representantes de empresas e Institutos de Ciência e Tecnologia, além de palestras de abertura e encerramento. O Painel 1 terá como tema a “Digitalização e Tecnologias Disruptivas”; o Painel 2, “Diversidade e Atratividade na Engenharia”; o Painel 3, “Empreendedorismo na Engenharia” e, por fim, o Painel 4, com o tema “Cooperação Empresa-Universidade” será tema do Painel 4.

O diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães, destaca que a formação de pessoal qualificado em engenharia e também em outras áreas básicas e tecnológicas é fundamental para que o país se insira definitivamente na sociedade do conhecimento.

“A Engenharia Brasileira é reconhecida mundo afora, sendo a mais qualificada da América Latina. No Brasil, os alunos de engenharia estudam, no mínimo, cinco anos para obter o diploma de graduação, isso significa ser um profissional com mestrado na Alemanha, onde a graduação tem duração de três anos. No entanto, na Alemanha há uma gama muito grande de empresas tecnológicas, onde os estudantes podem utilizar o conhecimento adquirido na academia em sua plenitude. Lá, o setor industrial investe pesadamente em PD&I e, portanto, tem grande capacidade e necessidade de contratar engenheiros qualificados. Já no Brasil, temos pouco investimento na aplicabilidade do conhecimento e na inovação pelo setor industrial”, compara

Guimarães e defende a integração entre a universidade e o setor industrial como o caminho para se sobressair na corrida pela inovação tecnológica. O diretor presidente da EMBRAPII afirma que há uma série de desafios a serem superados para que ocorra a formação de parcerias seja mais frequente, entre eles, empecilhos regulatórios, autonomia universitária condicionada, preconceito de parte da academia e ausência da prática de inovação na indústria do país.

“ É preciso envolver o setor acadêmico qualificado capaz de oferecer ao segmento industrial competência técnico-científica para atender demandas de pesquisa aplicada das empresas”, conclui ao enfatizar a missão básica EMBRAPII, de contornar as dificuldades adotando um modelo diferenciado de atuação para incentivar e fomentar PD&I na indústria brasileira.

A EMBRAPII- A Empresa mantém contrato de gestão com o Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Ministério da Educação (MEC) e atua por meio da cooperação com instituições de pesquisa científica e tecnológica, públicas ou privadas, tendo como foco as demandas empresariais e como alvo o compartilhamento de risco na fase pré-competitiva da inovação.
O financiamento da instituição obedece a seguinte regra geral: a EMBRAPII pode investir até 1/3 das despesas das Unidades com projetos de PD&I (recursos não-reembolsáveis), enquanto o restante é dividido entre a empresa parceira e a Unidade. Ao compartilhar riscos de projetos com as entidades (por meio da divisão dos custos do projeto), estimula-se o setor industrial a inovar mais e com maior intensidade tecnológica para, assim, potencializar a força competitiva das empresas no mercado interno e internacional.

Serviço:

Evento: 9ª edição do Dia da Engenharia Brasil-Alemanha
Quando: 22 de novembro, 13h30min
Onde: no Villa Blue Tree, em São Paulo (SP).