Mais de 130 empresas já foram beneficiadas no desenvolvimento de 139 projetos em diferentes áreas da indústria nacional

Startups são inovadoras em sua origem, com ideias que podem transformar padrões de negócios e propor novas estrutura de mercado. No entanto, em sua fase inicial, muitos elementos ainda são incertos e pouco definidos. Para oferecer mecanismos que contribuam neste contexto, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) se uniram e firmaram contratos com objetivo de garantir recursos não reembolsáveis aos projetos de Pesquisa Desenvolvimento e Inovação (PD&I) de pequenos empreendedores. Mais de 130 empresas já foram beneficiadas, gerando R$ 85 milhões em 139 projetos.

A empresa Bioxthica, startup incubada na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp), foi uma das beneficiadas pela parceria EMBRAPII/Sebrae. O projeto é uma realidade virtual interativa unificada a sensores que utiliza tecnologia de reconhecimento de movimentos corporais para ajudar no tratamento de terapia de reabilitação motora. Veja mais sobre este projeto no Canal da Inovação. A área da Saúde, aliás, é a que mais possui projetos envolvendo startups e pequenas empresas, respondendo por 36%. Logo em seguida, Agro (Alimentos e Bebidas), com 16%, Sustentabilidade, Telecom e Equipamentos Industriais, com 8% cada.

Áreas de aplicação:

A EMBRAPII é uma organização social que tem contrato de gestão com os ministérios de Ciência Tecnologia e Inovações (MCTI), Educação (MEC) e Saúde. A entidade tem como missão incentivar a inovação na indústria nacional, com divisão de riscos e custos. A Organização investe até 1/3 das despesas de projetos de PD&I de empresas com recursos não reembolsáveis, e o restante é dividido entre a Unidade EMBRAPII (centros de pesquisa credenciados na rede da instituição) e a companhia parceira. No contrato com o Sebrae, o apoio financeiro ao empreendedor é ampliado. O modelo auxilia os empresários a complementarem suas contrapartidas nos projetos, o que na prática garante parte da parcela da empresa, aumentando o percentual de recursos não-reembolsáveis para seus projetos de inovação industrial.

A adesão e o sucesso do primeiro contrato superaram as expectativas e o aporte do Sebrae de R$ 20 milhões, previsto para ser usado em quatro anos, foi totalmente utilizado em apenas dois anos. O segundo contrato, firmado em novembro do ano passado, no valor de R$ 30 milhões, já teve a primeira fase finalizada e gerou 25 projetos de inovação de 34 empresas. O Sebrae investiu R$ 3,8 mi nesses projetos, que resultou em cerca de R$ 15 milhões em investimentos em inovação.

Projetos contratados (tipos de desenvolvimento):

  • 48% são de produtos e processos
  • 36% são de produtos
  • 16% são de processos

Tecnologias habilitadoras:

Conheça as modalidades

Há três modalidades previstas no Contrato. Uma delas é o “Desenvolvimento Tecnológico”, exclusiva para micro e pequenas empresas e garante o aporte financeiro do Sebrae de até 70% da contraparte da empresa. Um exemplo é o da startup Salvus, que desenvolveu projeto para aperfeiçoar a utilização de gases medicinais em tratamentos de saúde, como em casos de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC.  A tecnologia gera maior segurança ao paciente, precisão da posologia médica e menor desperdício ao evitar vazamentos, tanto em hospitais quanto em homecares. Somente neste ano, foram firmados 16 projetos nessa categoria, no valor total de R$8 milhões.

Já na segunda modalidade, o “Encadeamento Tecnológico”, o aporte pode chegar em até 80% da contrapartida da empresa, sendo que ela não poderá ser inferior a 10% do valor total do projeto. Nesse modelo, há um incentivo em unir startups com médias e grandes empresas. A Basf, empresa química que oferece soluções para manejo agrícola de pragas e doenças, participou com a startup Horus do desenvolvimento de um software para drone de monitoramento agrícola, para detectar os locais de maior infestação de pragas e vegetação doente no cultivo de soja. O monitoramento preventivo e de maior abrangência por meio do dispositivo permitirá identificar falhas de plantio, com menor uso de herbicida em locais saudáveis. Nessa modalidade, estão sendo apoiados seis projetos de inovação, totalizando R$ 6 milhões.

A terceira possibilidade de contrato é chamada de “Aglomeração Tecnológica”, quando o incentivo à inovação envolve a criação de consórcios de empresas. A proposta inclui uma ou mais MGEs (Médias e Grandes Empresas), atuando em parceria com pequenos empreendedores que tenham uma demanda comum. Foram apoiados três projetos num valor total de R$ 598 mil, entre eles o projeto que vai desenvolver uma formulação desodorante em bastão com óleos essenciais nanoencapsulados. Veja mais detalhes aqui.

EMBRAPII e Sebrae contra a Covid-19

Durante a pandemia, parte dos recursos foram reservados para projetos de enfrentamento à Covid-19. Entre eles, a otimização da produção da proteína S do coronavírus SARS-COV-2. Acredita-se que a maioria dos anticorpos seja voltada contra ela, porém, há dificuldade em produzi-la em laboratório. Com o escalonamento da produção, tornou-se possível desenvolver testes sorológicos para diagnósticos mais precisos e econômicos do que os disponíveis no mercado, como os de PCR, por exemplo.

Outra solução tecnológica apoiada pela EMBRAPII e Sebrae vai permitir o acompanhamento de risco em ambientes corporativos ou de grande circulação de pessoas. Com uso de Inteligência Artificial e um sistema integrado de câmeras termais e convencionais, um software vai mapear o risco de contágio do novo Coronavírus. Todos os dias, ao ingressar no edifício, funcionários e visitantes terão imagens de calor e de identificação registradas e armazenadas em nuvem. As respostas se transformarão em dados para basear ações de prevenção de contágio.

“Precisamos ajudar as startups e as pequenas empresas a inovarem, pois hoje em dia inovação é questão de sobrevivência no mercado. Quanto mais incentivarmos e oferecermos mecanismos para que elas se mostrem no cenário nacional, mais ganharão competitividade ao disponibilizar seu potencial à indústria”, conclui o diretor de planejamento e gestão da EMBRAPII, José Luis Gordon. “A parceria com o Sebrae permite que a gente facilite a viabilização de ideias inovadoras para que elas saiam do papel e ganhem espaço no mercado nacional e internacional. A expectativa é ampliar a abrangência desta parceria e beneficiar ainda mais iniciativas empreendedoras. ”

arrow-down arrow-left arrow-right arrow-up Close Contato E-mail Facebook Google Home Instagram Linkedin local minus phone Pinterest plus Busca comparilhar telephone Twitter user view YouTube line-contact line-email line-facebook line-google line-home line-instagram line-linkedin line-local line-phone line-pinterest line-plus Busca line-share line-telephone line-twitter line-user line-youtube