I. Sobre o modelo startups LAB2MKT

A EMBRAPII considera como startups as empresas que possuam receita bruta anual até o valor de R$16 milhões e até 10 anos de constituição jurídica, conforme previsto na Lei Complementar 182/2021.

O objetivo do modelo é contribuir para que cheguem ao mercado os produtos e serviços de startups que já tenham sido apoiados pela EMBRAPII na etapa pré-competitiva de desenvolvimento tecnológico. Assim, caso a nova solução tenha atingido a maturidade tecnológica necessária – e a startup tenha interesse –, o empreendedor poderá receber um segundo apoio da EMBRAPII, avançando para um fomento de natureza pré-comercial, de aspecto mercadológico. Caso o novo produto ou serviço chegue à maturidade esperada nesse segundo ciclo, a nova solução poderá receber ainda um terceiro ciclo de apoio da EMBRAPII.

Ciclo 1 (TRL 3-6): apoio não reembolsável para desenvolvimento tecnológico no nível de maturidade tecnológica (Technology Readiness Level – TRL) de 3 a 6. Trata-se de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) pré-competitiva. Explicação detalhada sobre TRL pode ser encontrada neste link.

Ciclo 2 (TRL 7-9): apoio adicional para que as startups que concluíram o Ciclo 1 possam levar os novos produtos ou serviços ao mercado. É nessa fase que se prova que a tecnologia é economicamente viável. Os recursos não reembolsáveis podem ser utilizados para homologações ou certificações, provas de conceito, lotes-piloto, registro de propriedade industrial, além de serviços de assessoria qualificada em inovação, design, modelagem de negócios, entre outros dispêndios necessários para que a solução de fato acesse o mercado.

Ciclo 3 (apoio financeiro direto): trata-se de um apoio financeiro adicional da EMBRAPII às startups que tenham concluído o Ciclo 2 e cujo produto ou serviço já tenha conseguido acesso inicial ao mercado. A EMBRAPII avalia caso a caso e faz um contrato direto com a startup no valor de até R$ 200 mil para dar robustez às startup em seu início, mas o modelo pressupõe coinvestimento de um investidor-anjo, uma aceleradora parceira (que aporte recurso financeiro) ou ainda recursos provenientes de uma plataforma de crowdfunding. O modelo é extremamente vantajoso para a startup: caso não tenha sucesso de fato no mercado, não precisará devolver nada à EMBRAPII. Por outro lado, caso decole, a empresa vai devolver (após 24 meses de carência) o principal que foi emprestado com a correção da inflação. Trata-se de 0% de juros e 0% de participação no capital social (equity), tudo no modelo ágil e flexível da EMBRAPII.

Para fazer o Ciclo 3 é necessário ter feito o Ciclo 2. Como regra geral, para fazer um projeto de Ciclo 2 também é necessário ter feito um projeto de Ciclo 1. Há uma única exceção: além das startups que se enquadram no item acima, são elegíveis para acessar diretamente o Ciclo 2 as startups que tenham recebido de uma outra empresa (de qualquer porte, no caso do Ciclo 1) uma carta de assunção transmitindo para a startup a possibilidade de dar sequência ao projeto que tenha sido por ela realizado no Ciclo 1. Na hipótese de carta de assunção, não será permitido fomentar o projeto de Ciclo 2 de startups nas quais a empresa emissora da carta possua participação majoritária no capital social.

Não é necessário. Basta entrar em contato com a Unidade EMBRAPII do seu interesse e negociar o seu projeto de PD&I diretamente com ela.

Para o Ciclo 1, as 64 Unidades EMBRAPII estão habilitadas a operar. Você pode conhecê-las clicando aqui. Basta clicar no nome da Unidade EMBRAPII desejada e você terá acesso às competências tecnológicas e aos contatos. Para o Ciclo 2, há 12 Unidades EMBRAPII habilitadas, listadas aqui.

Os recursos para os projetos de Ciclo 1 e Ciclo 2 são gerenciados pela Unidade EMBRAPII escolhida para o desenvolvimento daquela inovação. A Unidade EMBRAPII centraliza todos os recursos, sejam os do próprio centro de pesquisa, os não reembolsáveis da EMBRAPII ou ainda a contrapartida que cabe à empresa. Somente no Ciclo 3, após passar pelos Ciclos anteriores, o projeto da startup poderá receber recursos diretamente da EMBRAPII.

Não. Para que a startup possa usufruir do fomento da EMBRAPII é necessário que um projeto com desafio tecnológico (Ciclo 1) tenha sido feito em parceria com uma Unidade EMBRAPII.

Sim. O modelo EMBRAPII pressupõe coinvestimento. No âmbito de cada projeto de Ciclo 1 ou Ciclo 2, a Unidade EMBRAPII determinará qual é o percentual de aporte da EMBRAPII (se 1/3 ou 1/2) e negociará o aporte da(s) empresa(s) parceira(s), assim como sua própria contrapartida – financeira ou não –, considerando fatores como risco envolvido no desenvolvimento, desafio tecnológico e potencial de aplicação da tecnologia resultante do projeto. No caso do Ciclo 1, a EMBRAPII conta com uma parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE Nacional) que pode cobrir, também com recursos não reembolsáveis, até 70% da parte que fica para a startup pagar. Mais informações podem ser obtidas aqui.

arrow-down arrow-left arrow-right arrow-up Close Contato E-mail Facebook Google Home Instagram Linkedin local minus phone Pinterest plus Busca comparilhar telephone Twitter user view YouTube line-contact line-email line-facebook line-google line-home line-instagram line-linkedin line-local line-phone line-pinterest line-plus Busca line-share line-telephone line-twitter line-user line-youtube